Browsing articles from "fevereiro, 2018"

9 Motivos Pelos Quais Muitos Salões Quebram

fev 12, 2018   //   by admin   //   Blog  //  Comentários desativados em 9 Motivos Pelos Quais Muitos Salões Quebram

Há centenas de fatores que podem levar salões de beleza ao fracasso, mas alguns deles concentram as causas de insolvência e fechamento.  São dos tipos de problemas como poderá ser visto adiante: problemas específicos e problemas genéricos.

Normalmente os problemas genéricos envolvem os específicos, mas tudo se funde em um contexto complexo, onde cada um dos itens não só faz parte do outro, como influencia diretamente seus resultados.

Como exemplo básico: problemas financeiros isolados podem levar um salão ao fracasso, mas ao mesmo tempo eles podem gerar a da fuga de profissionais, tanto quanto podem ser a causa da ausência de ações de Marketing.

Como poderá ser visto, normalmente os motivos que causam a falência ou fechamento de um salão não ocorrem isoladamente.

Qual a importância de conhecer estes fatores ou motivos?

Conhecer os principais motivos de insucesso de salões auxilia os empreendedores e empresários e evita-los, buscando permanentemente ações alternativas para neutralizá-los.

E quais são estes fatores ou motivos?

  1. Falta de conhecimento sobre a operação de salões de beleza.

Acentuadamente desde 2010 muitos “investidores” de outros segmentos e novatos se motivaram a iniciar novos salões ou estruturar sociedade ou associação com profissionais cabeleireiros em salões já operando. Muitos investiram cifras acima de R$ 1 milhão neste processo. Nos casos de fracasso, nem o dinheiro ajudou. Salões exigem o conhecimento de suas peculiaridades, que são muitas.

  1. Ausência de qualificação

Dentro deste item cabem centenas de observações, mas a principal é que muitos salões de beleza esqueceram que vivemos no Século XXI. Enganar clientes vendendo uma qualificação que não existe só leva a um resultado: o fracasso. Com a filosofia de “educação continuada” todos os profissionais são obrigados a continuar estudando para equilibrar o conhecimento com o impressionante aumento de conhecimento dos consumidores. É fundamental lembrar que qualificação leva à qualidade em todas as áreas de um salão (cabelos, estética, unhas, maquiagem, etc.) e em suas responsabilidades específicas, incluindo atendimento, gestão, desempenho técnico em cada área do salão, biossegurança e assim por diante. Salão com profissionais desconectados de educação tendem ao desaparecimento.

  1. Atendimento Sofrível

Excelência no atendimento depende de pessoas com perfil de atendimento, qualificação e educação permanente e acompanhamento diário. Muitos profissionais acreditam que estão lá para “prestar um serviço”, enquanto, na verdade, eles estão lá para “satisfazer uma necessidade”. Esta sutil diferença na interpretação da atividade é um motivo que leva inúmeros salões ao fracasso. O atendimento envolve desde as questões de conhecimento específico sobre o trabalho que vai ser realizado, a atenção às solicitações do cliente e a melhor forma de fornecer respostas apropriadas, até a apresentação pessoal, que não deixa também de ser uma questão relacionada com Marketing.

  1. Fuga de profissionais

Alguns salões perdem simultaneamente muitos profissionais. As causas da saída de, por exemplo, um bom cabeleireiro, ou de vários simultaneamente, quase sempre guarda relação com a inexistência de uma liderança efetiva. Além disto, a fuga pode estar relacionada com problemas de atraso no pagamento de comissões, problemas de relacionamento entre membros da equipe e, não tão esporadicamente, com convites de concorrentes ou de clientes para que um ou vários profissionais migrem de salão.

  1. Confusão entre a vida pessoal e a vida particular

Este tema possui um ingrediente explosivo, que está no nível de disciplina que se pratica para separar a vida profissional da vida pessoal. Frequentemente recebe a  interpretação equivocada de assunto relacionado à gestão, mas essencialmente é um problema de comportamento do empreendedor/empresário, por não possuir habilidade para separar os papéis de um e de outro, provocando simultaneamente inúmeros outros problemas.

  1. Desrespeito às questões de impostos, taxas e direitos trabalhistas

Já não é de hoje que inúmeros salões tiveram sérios problemas com questões trabalhistas e tributárias. Consultando os casos históricos na internet é possível identificar centenas de casos registrados. Com a atual mudança na legislação dando maior liberdade para que a relação entre salão e profissional tenha fundamento em uma parceria, inúmeras novas questões surgirão com o tempo. Se o tema tem sido motivo de fechamento de inúmeras unidades de negócio ao longo do tempo, diante de um novo cenário legal, ainda imprevisível na geração de jurisprudência, todo cuidado é pouco.

  1. Ausência de Marketing

Marketing é, em essência, o negócio. Produzir grandes resultados de embelezamento, ter efetividade no trabalho realizado, utilizar as melhores marcas, pode ser somente um enlatado para autorrealização quando não se utiliza o Marketing. Ele envolve todas as questões que colocam um salão à serviço dos clientes, visando à satisfação de suas necessidades:  desde a definição dos serviços a serem prestados, dos preços a serem praticados, do desenho do composto promocional, até a forma de apresentar o ambiente, dos serviços e produtos oferecidos por um salão. Um percentual enorme de salões não sai do chão por absoluta ausência de Marketing, que não deve ser confundido com presença nas mídias sociais. O Marketing vai muito além disto.

  1. Descontrole financeiro

Sozinho este item provoca a derrocada de milhares de unidades de negócio. É impressionante como no Brasil este tema é recorrente. Isto envolve desde a ausência do controle do caixa, de demonstrações financeiras, até a completa inexistência de reserva para eventuais imprevistos, que ocorrem na vida de todas as pessoas e de todos os negócios. Muitas pessoas que vão ler esta publicação sabem exatamente do que se trata, reconhecem a necessidade de controles financeiros, talvez até saibam como coloca-los em prática, mas não possuem a atitude. Saber e decidir fazer não basta. É fundamental fazer.

  1. Má gestão (no sentido amplo)

Todos os itens anteriores podem ser classificados como “má gestão”, porém alguns cabeleireiros de renome passaram grande parte da vida sofrendo as consequências dela. Má gestão em uma única frase significa o descuido com as funções vitais de um negócio: planificação, marketing, finanças, recursos humanos, suprimentos, tecnologia, operações e engenharia de processos. Se parece estranho falar nisto para um salão de beleza já é sinal que a gestão não é completamente profissionalizada. O que pode parecer um traço comum, pode se tornar rapidamente em um motivo de extinção, uma vez que em conjunto, tudo pode significar fuga e ausência de clientes.

Logicamente este é um tema por demais amplo, para o qual cabe um livro, mas vale lembrar outro post do HPPO que aborda as funções de um gerente de salão de beleza, seja ele proprietário ou somente gestor.

Fique de olho em todos os detalhes de gestão e acompanhe tudo que acontece no segmento para evitar surpresas!

Qual deve ser a receita de uma bancada em um salão?

fev 7, 2018   //   by admin   //   Blog  //  Comentários desativados em Qual deve ser a receita de uma bancada em um salão?

Esta é uma pergunta que abrange dezenas de fatores. Muitos proprietários não sabem fornecer uma resposta a respeito da receita média por bancada no próprio salão. Uma resposta recorrente é: “isto varia muito”.

A receita média de uma bancada varia, mas precisa de parâmetros. Há salões nos quais há duas bancadas. Uma delas é ocupada pelo profissional titular, a outra é ocupada por um assistente prestando suporte a um cliente. Em salões que atendem às classes mais elevadas e/ou altamente especializados, em corte,  coloração/descoloração ou mudança de forma, duas bancadas podem faturar mais de R$ 50 mil, ou seja R$ 25 mil por bancada, mas a bancada do cabeleireiro titular será responsável por 100% do faturamento. Se você considera o valor alto, acredite que há valores muito superiores a R$ 50 mil em um salão neste formato.

Em salões nos quais os profissionais atuam em serviços de demanda corrente envolvendo corte, coloração/descoloração e mudança de forma sem uma profunda especialização ou atendendo um público mais amplo, com profissionais nivelados, a receita por bancada se situará na faixa média dos R$ 12,5 mil por bancada.

É comum em salões com maior número de bancadas alguns profissionais atingirem em suas bancadas receitas de R$ 6 mil, enquanto outros atingem R$ 20 mil ou mais. Dentro do mesmo ambiente, trabalhando sob as mesmas condições.

O principal motivo de tratarmos o tema aqui é para que cada um imagine o cenário futuro do seu salão, tomando como referência a produtividade média e de cada bancada no momento. Um salão precisa pensar em uma fórmula:

Receita Bancada = NDUM * NAMD * VMC

Onde:

  • NDUM = Número de dias úteis do mês
  • NAMD = Número de atendimentos (em média) por dia – clientes
  • VMC = Valor médio da comanda

Desta forma um mês possui 23 dias úteis, o número médio de atendimentos de um profissional é de 5 por dia, e o valor médio da comanda deste profissional é de R$ 120,00, a receita desta bancada será:

  • Receita da Bancada = 23 * 5 * R$ 120,00
  • Receita da Bancada = R$ 13.800,00

Perceba que se o número de atendimentos aumentar, ou se o valor médio do serviço aumentar, haverá um grande incremento do faturamento da bancada.

Um exemplo: , se o número médio de atendimentos aumentar para 6 por dia, e o valor médio da comanda variar para R$ 180,00, a receita desta bancada será:

  • Receita da Bancada = 23 * 6 * R$ 180,00
  • Receita da Bancada = R$ 24.840,00

Aumentar uma comanda de R$ 120,00 pra R$ 180,00 pode envolver um serviço de valor mais elevado, um serviço adicional, ou mesmo a indicação de um produto de manutenção.

Calcule agora seus números e estabeleça metas para melhoria permanente deste indicador. Sucesso!